+351 924 002 690 info@ideias-digitais.com

Bom dia, empreendedor, aqui é o Erico Rocha com mais uma sacada diária de empreendedorismo pra você, pra você que tá me seguindo por 365 dias, eu vou postar uma sacada nova de empreendedorismo por dia e por 365 dias consecutivos, quer dizer que quando você voltar aqui nesse exato lugar vai ter uma sacada nova? Sim. Eu tô postando mais ou menos às 7h ou às 7h15, então você pode contar com isso.

E hoje eu vou falar as 5 razões pelas quais eu acredito que você deve começar o seu canal do YouTube se você ainda não começou por algum motivo. E o mais legal que antes de eu tá vindo aqui gravar essa sacada eu fiquei presente que uma das razões pelas quais eu comecei meu canal do YouTube foi porque eu queria deixar um legado pro meu filho. Eu queria ensinar um pouco de empreendedorismo pra ele e se, por acaso, vamos dizer assim, ele decide empreender e eu não tivesse mais ali pra ensinar isso pra ele. E essa foi a razão que eu comecei há uns dois anos atrás o meu canal. No começo eu publiquei um vídeo por semana por, na verdade, eu vídeo por dia por 120 dias, depois comecei a publicar uma vez por semana, depois duas vezes por semana e agora com esse desafio de 365 dias. E a primeira razão é o seguinte: quando você publica alguma coisa, não importa o que, você se torna na visão da pessoa que tá assistindo uma autoridade e um expert.

E por que isso é importante pra você? Porque o ser humano é treinado desde pequeno a escutar pessoas que eles consideram como autoridade. E a autoridade não necessariamente é uma coisa que você tem é uma coisa que é percebida neles. Inclusive, algumas pessoas tem muita autoridade em um lugar e autoridade nenhuma em um outro lugar. E quando você publica você tem autoridade. O mais interessante disso é que antigamente o único jeito de você ganhar esse tipo de autoridade era escrevendo um livro. Inclusive tem um amigo do amigo, né, um amigo do amigo, do amigo, do amigo que me contou essa história, que tinha esse amigo, que tinha um amigo, que tinha um primo, que tinha um amigo. Basicamente, esse cara tinha escrito um livro e toda vez que ele ia fazer check-in, isso é lá nos Estados Unidos, pra viajar, ele colocava o livro em cima da mesa de forma que a pessoa que tivesse fazendo check-in visse o livro e ela falava nossa, ela ou ele, nossa, você escreveu esse livro? Que legal.

E esse cara reportou pra esse amigo do amigo, do amigo, do amigo que não era incomum dele receber upgrades pra business class só por causa disso. E eu entendo a consistência dessa história, porque as pessoas acreditam que quem escreve um livro é uma autoridade. A gente, como diria, desde pequeno você tá seguindo, você tá forçado a seguir, forçado não, você tá influenciado a seguir autoridades. É isso que você faz com seus pais, é isso que o Noah, meu filho, faz comigo. E quando você escreve alguma coisa as pessoas acham. Nossa, esse cara é um expert, esse cara é uma autoridade, eu vou seguir ele ou eu vou cortar caminho de conhecimento, já que ele já pesquisou sobre o assunto. E quando você publica a grande sacada é que o livro…

Um vídeo dá muito menos trabalho que um livro. Me pergunta como é que eu sei disso? Porque eu tô considerando assinar um contrato pra escrever o meu livro agora, então, exatamente, dá muito menos trabalho. E o mais interessante é que eu tenho um grande mentor. Esse cara chama Jeff Walker, ele falou no último Fórmula de Lançamento. E esse cara fez uma campanha, ele lançou um livro, esse livro chegou ao número 1 do New York Times best-seller.

Pra você chegar lá, você tem que vender por volta de 40, eu acho que o número dele foi 40 mil livros no prazo de duas semanas. É muito louco, é um ranking muito difícil e no final quando eu conversei com ele, hoje ele vendeu mais de 100 mil livros. E o mais interessante é quando ele subiu no palco da Fórmula da Lançamento, ele falou assim: olha, eu cheguei no New York Times best-seller, eu, vamos dizer assim, eu vendi mais de 100 mil livros e te juro por Deus na minha opinião, na minha percepção o impacto que meus vídeos semanais no meu canal do YouTube tem pro meu negócio é muito maior do que o meu livro, essas são as palavras dele.

E não é o único que fala isso, não é o único autor que fala isso. Outro autor que fala isso muito é o Bruno Gimenez. Eu conheci o Bruno Gimenez, também best-seller, eu não sei se ele já vendeu mais de 60 ou 70 mil livros, mas é bem por aí. E o mais legal disso tudo é que ele falou assim ô, Erico, e o Bruno Gimenez ele tem um site que chama Fitoenergética, checa lá ele.

E ele falou assim ô, Erico, o mais interessante é que eu vou muito a eventos ao vivo. Hoje em dia, depois que eu comecei meu canal do YouTube, ninguém chega assim: oi, Bruno, tudo bom, cara? Comprei seu livro. E olha que eu escrevi mais de 10 livros. Eu acho que o número era quase 20, mas enfim, vou colocar assim bem conservador 10. E ninguém fala isso, as pessoas vem e falam assim: Bruno, eu vi seu vídeo. Então o que acontece, gente? Vídeo gera autoridade e autoridade permite você cobrar mais pelos seus serviços, permite você, enfim, receber mais clientes e é muito importante você ter autoridade. A segunda razão é que você pode falar o seguinte: Erico, mas eu posso gerar autoridade não gravando vídeo, porque dá trabalho. Eu tô seguindo você no snapchat, quem tá me seguindo no snapchat tá vendo como é que essa câmera tá pendurada, ela tá pendurada mais ou menos aí, vamos dizer assim, numa árvore, dá trabalho fazer esse negócio. E eu posso simplesmente postar textos no Facebook ou no meu blog, por que vídeo então? Por que não vídeo? Porque é o seguinte, vídeo, nem todos os conteúdos foram criados iguais e vídeo gera, na minha opinião, mais conexão do que um texto.

Basicamente isso. Eu acho que a gente, o nosso cérebro humano tá treinado a ver isso, porque no vídeo você consegue escutar a voz, você consegue entender mais a autenticidade da coisa e vídeo não dá pra outra pessoa escrever. Vou te contar um segredo: mais de 50%, eu sou super conservador, tá? Deve ser muito maior, dos livros que são publicados hoje, são publicados, escritos por ghost writers, então outras pessoas que escrevem os pensamentos do cara que tá atingindo e as pessoas, os posts do Facebook, então a gente sabe que o vídeo não dá pra eu colocar um ghost Erico, chegar assim… não, não dá, basicamente não dá. Então, o que acontece? Isso gera autenticidade, gera mais conexão também. Muito mais conexão. Então, a grande sacada é que vídeo gera mais conexão. Então, essa é a segunda razão. A terceira razão é o seguinte: Facebook, snapchat, eu gravei um vídeo sobre 5 razões pelas quais você deve usar o snapchat, se você ainda não viu o vídeo, o episódio, o podcast, não sei como você tá vendo isso, algumas pessoas tão escutando, algumas pessoas tão vendo, algumas pessoas tão vendo no Face, mas a grande sacada é o seguinte: eu falei do Face e são importantes.

Só que é o seguinte: esses negócios são feeds, em inglês são alimentadores. É como se o publicador, eu por exemplo, tivesse alimentando a minha audiência com vídeo que eu quero, basicamente é isso. Ninguém, como que acontece? Você entra na minha página do Facebook, você vê o vídeo que tá lá no dia, talvez um, dois dias, mas ninguém procura, sei lá, 365 dias atrás o que o Erico publicou, não. Quando eles querem procurar, essa é a terceira razão, onde eles vão, por vídeo, adivinha? Acertou! YouTube. Eles vão no YouTube. Então o YouTube cria esse acervo de que as pessoas que te descobrem pelo snap, te descobrem pelo Face, elas vão poder acessar essa informação e essa é a terceira razão. Elas vão poder acessar uma informação, elas criam uma biblioteca, nesse momento, eu dei uma olhada lá, eu tenho 440 vídeos no YouTube, esses 440 vídeos no YouTube você vai lá e procura, você pode ver 440 vezes o Erico e ainda tá vendo 365 dias de vídeos novos, de eu fazendo download do que tá acontecendo.

Então a grande sacada e a terceira razão é que o YouTube propõe, dá esse opção de procurar, o snapchat não dá. O Facebook não dá, então é importante você combinar o melhor e os pontos fortes dessas coisas. Então se você ainda não tá no YouTube é muito importante que você esteja e essa é a terceira razão. A quarta razão é blindagem. O que eu quero dizer com isso? Isso aconteceu meio que de supetão sem eu entender, mas quanto mais você publica vídeos no YouTube mais você blinda sua marca, mais você evita críticas não fundadas. Por quê? Porque a pessoa tem a oportunidade de vasculhar o seu trabalho, ela tem a oportunidade de te olhar no olho, mais perto que seja, entender o porque que você faz o que você faz. Eu recebia muito mais crítica e o seguinte: quer o segredo de não receber crítica? É não fazer nada. Aristóteles falava isso, né? Você não quer receber crítica, não quer receber crítica, não quer que as pessoas, sei lá, não faz nada.

Mas então se você e o empreendedor, a natureza do conteúdo do empreendedor é disruptiva, deve ser disruptiva e é uma das razões pra que a gente empreende, de criar ideias disruptivas. Por exemplo, meu conteúdo é disruptivo, eu espero que o seu seja em algum degrau, tenha notas disruptivas e quando você criar alguma coisa disruptiva que desafie o status quo, o que vai acontecer? Vai ter mais críticas, mas quando você tem um arsenal, um paredão de vídeo, como diria o Mairo Vergara, um paredão de vídeo ali, as pessoas vão poder entender quem é você. Elas vão poder chegar o mais perto que elas conseguem chegar, elas vão poder pesquisar, de repente entender porque você faz o que você faz, quem é você.

E quando eu criei os meus vídeos e quando eu comecei a publicar meus vídeos, o que aconteceu? Eu tive muito menos ruídos infundados, isso mesmo. Muito menos ruídos infundados. E por falar em ruídos se você não sabe porque que tá tendo esse ruído, se você só tá me assistindo no meu podcast é porque eu tô gravando nas ruas de Barcelona, dá uma olhada no YouTube que você vai ver onde eu tô gravando ou no snap, mas enfim. É muito importante isso, então desde que eu comecei a gravar meus vídeos, a minha marca se blindou, as pessoas entendem mais. Muito menos tensões, eu chamo de tensão desnecessária. Tensão infundada, tensão desnecessária e esse vídeo vai fazer isso. E a última e a quinta razão e a mais importante: publicar no YouTube vai gerar valor pra sua audiência, principalmente, se você fizer de forma consistente, só tem um jeito de fazer de forma consistente, senão não funciona.

Vai gerar valor pra sua audiência e quando você gera valor pra alguma pessoa, as chances dela querer gerar valor pra você é muito maior, basicamente. Ela vai ficar agradecida, muita gente fica agradecida deixando comentários, fazendo isso, eu recebo essa força todo dia, tanto do snap, como no Youtube, mas quando você gera valor pra pessoa isso volta pra você, volta em termos de cliente. Mais pessoas se tornam seus clientes, porque elas confiam mais em você, porque elas se sentem mais conectadas com você, porque elas sabem mais sobre você e porque elas sentem a vontade de devolver um pouco do valor que você gera pra ela. Quando eu comecei esse canal a minha intenção era gerar valor pro meu filho, basicamente isso e quando eu olhava pra câmera, a câmera, não sei se você já olhou pra câmera, mas ela tem uma pequena coisinha que eu costumo entender que é um olho e eu imagino o olho do meu filho.

Eu imagino que meu filho tá me olhando agora e é incrível, quando eu faço isso eu fico mais presente pra gerar valor e se você gerar valor pra sua audiência, como se você tivesse gerando valor pro seu filho aquilo vai voltar, essa é a quinta razão. E a última coisa é seguinte: se você for fazer só faça se e somente se você for consistente. Eu já tentei não ser consistente, isto é, publicar agora, depois publicar sei lá quando.

Não funciona. Pergunta como é que eu sei disso? Eu tentei. E a consistência gera um poder incrível, então os consistentes eles têm todo o retorno, vamos dizer assim, as pessoas que não são consistentes tem retornos medíocres, resultados medíocres. Outra coisa, quer uma dica, outra coisa? O YouTube você tem que, se você for uma pessoa de curto prazo não vai, acontece de alguém explodir, mas enfim, comecei há três anos e quando eu publicava eram, sei lá 100, 200 pessoas que viam. Isso pra mim é, enfim, pra quem tinha uma audiência na época como eu tinha era pouco. Então assim, vê o longo prazo. Se você não pensar em 365 e eu acho que 365 dias não necessariamente uma vez por dia como eu, isso já é uma pessoa que tá mais avançada, que tá mais comprometida com a sua audiência, mas pensa, pensa pelo menos um ano de você começar e não parar porque a grande sacada é que não vem, ele vai construindo, é como se fosse esses cafés aqui, que tão aqui fechados no momento, enfim, que eu gravo muito cedo vocês me seguem no snap, eu acordo muito cedo, mas enfim, ele tende a funcionar no longo prazo, é como se fosse uma exponencial, deixa eu tentar desenhar inclusive ao contrário, se fosse assim ou assim se você tiver vendo, eu nunca sei quando eu tô gravando vídeo se é pra um lado ou pro outro, mas é uma exponencial.

E se você tiver força pra segurar enquanto você tiver suas duas ou três… Quer uma outra dica? Deixa eu te dar uma outra dica: seu objetivo não é ver as visualizações das outras pessoas, é sim ver as suas visualizações. Então você tem uma visualização hoje, comemora e torce para amanhã ser duas, pra depois de amanhã ser três e aí vai. Essa é a grande sacada. É isso que me leva, porque não importa quem você é, você sempre tem alguém que tem bilhões de visualizações a mais que você. Não importa quão pequeno ou quão grande você é, acredite ou não.

Essa é a sacada de hoje, se você tiver interessado em acompanhar esse projeto de 365 dias tem várias maneiras. Uma delas é assinando meu canal do YouTube, isso vai te dar uma perspectiva de dentro de como funciona esse processo. Então assina aí e eu te vejo na próxima sacada..

Encontramos esse conteúdo no Youtube

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.