+351 924 002 690 info@ideias-digitais.com

Bom dia empreendedor e a frase de hoje é: Quer crescer? Tenha inimigos. Um tempo atrás, muito tempo atrás morava em Londres e um amigo meu do trabalho, de um banco falou pra mim, Erico vamo lá ver o jogo do Brasil? Ele tinha duas cadeiras, o filho dele não podia ir e ele acabou me convidando. Eu falei, nossa que massa! Nunca tinha visto um jogo do Brasil, da seleção brasileira se não me engano ia jogar contra Portugal, eu não sei ao certo e a gente foi lá. E ele era fã do Arsenal e basicamente a gente subiu no estádio, que estádio lindo, a gente foi lá eu vi a primeira vez o Neymar jogando, ele tava começando aí a carreira na seleção se não me engano e aí o Cristiano Ronaldo pegou na bola e aí quando ele pegou na bola a torcida brasileira que tava lá de pessoas que moravam em Londres começou a gritar: ‘Cristianô… Vi@##$o!’ E basicamente na tentativa de com a vaia e com aquele comentário tentar descontrolar emocionalmente o Cristiano Ronaldo.

Nisso o meu amigo me deu uma cutucada e falou assim, nossa eles não sabem o que estão fazendo. Eu falei assim, como assim? Ele falou, eu acompanho o Cristiano há muito tempo né? Eu torço pro Arsenal ele joga, na época jogava no Manchester United e ele falou assim, o Cristiano joga muito melhor quando é vaiado do que quando ele não é vaiado. E dito e feito, quanto mais a torcida gritava, ‘Cristianô… Vi@##$o’ mais o cara jogava bem cara. Ele pegou a bola enquanto aquilo parecia que era um alimento na cabeça dele ele foi lá e marcou um gol e desequilibrou o jogo, o Brasil acabou perdendo na época.

Ele jogava melhor quando era vaiado, aquilo ficou na minha cabeça. Assim, minha época de Londres eu considero que a minha época de Londres foi a época de maior desenvolvimento pessoal da minha vida. Eu morei 4 anos na Alemanha mas quando foi pra Londres que a minha mente explodiu, basicamente. Inclusive eu acho que eu até vou sugerir pro meu filho morar um tempo em Londres. Tem muita coisa que acontece lá e naquela época eu trabalhava em um banco de investimento e aquilo é muito interessante que a mentalidade daquelas pessoas que me rodeavam naquele lugar era muito legal. Tinha uma frase que eles falavam o tempo inteiro, uma frase que eles falavam o tempo inteiro que era a seguinte, ‘If in trouble double’ que traduz da seguinte maneira, se você tá com problema, duplique. E o duplique na minha interpretação, duplique energia. Então às vezes a gente tava em um projeto dentro do banco e tava tendo problema aí a gente ia reclamar com o cara né? Um processo de ‘vitima’, ‘vitimas’ , ‘vitimisz’ , vitimização! Vitimização! Lembrei, consegui.

E aí o cara virava pra gente e falava assim, cara ‘If in trouble double’, se você tá em apuros duplica. E aquilo ficou muito na minha cabeça então por tempos eu ouvi tanto isso daquelas pessoas que aquilo começou a ficar injetado na minha cabeça e começou a virar uma crença, ‘If in trouble double, if in trouble double’. E se desenvolveu dentro de mim pro resto da minha vida e influenciou pro resto da minha vida. E eu acho que foi isso que me fez jogar melhor quando eu sou vaiado. Assim, por vezes na sua carreira de empreendedor você vai sofrer críticas, você vai ser vaiado como diria Aristóteles: ” Se você não quiser receber críticas, não fale nada, não faça nada e não seja nada.” É normal, o próprio processo de crítica é construtivo mas grandes empreendedores e grandes caras que performam são aqueles que são capazes de canalizar aquela energia e jogar melhor ainda e foi isso que aconteceu comigo.

Então hoje quanto mais vaiado eu sou mais eu coloco energia. Quanto mais em apuros tá a economia do Brasil mais eu triplico e coloco energia em aprender, em ser eficiente no que eu faço, em fazer mais com menos, em fazer mais com menos. Em fazer mais em condições de temperatura e pressão piores e é mais interessante que isso se caracterizou no meu jogo. E recentemente no Titanium teve um amigo nosso lá dentro que recebeu várias críticas. E depois que ele recebeu ele postou um áudio ele tava um pouco abalado, eu diria que a minha interpretação é que ele tava um pouco abalado pras críticas e o Gustavo Oliveira, também um grande empreendedor que tá lá, ele gravou esse áudio pra esse cara.

Deixa eu tocar esse áudio pra você. -Gustavo Oliveira: ” Fala Andrezão, seguinte cara bom também tenho aí minha meia dúzia de perseguidores, haters essas coisas e cara eu uso esses caras como motor propulsor sabe? Então toda vez que um me incomoda seja lá por qual razão for não importa eu pego aquela energia ali emocional e transformo aquele negócio em vez de ser uma coisa destrutiva pra mim, uma coisa negativa pra mim eu uso aquilo como motor propulsor pra eu criar mais. Então eu trabalho com mais raiva, trabalho mais, eu canso menos então, putz usa isso como combustível cara, sabe? Certa vez aprendi do de Rose que ele falava o seguinte, que o que ele nutre né? Pelos inimigos que apareceram na vida dele nos últimos mais de 50 anos e aí ele fala que ele nutre gratidão.

Porque ele só chegou onde ele chegou porque ele teve inimigos. Então, é isso aí. Então ele fala, quer crescer? Tenha inimigos! Beleza? Abraaaaaaaço.” Pois é, quer crescer? Tenha inimigos! Essa é a sacada de hoje e eu te vejo no próximo episódio..

Encontramos esse conteúdo no Youtube

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.